A Fobia Social é caracterizada pelo medo acentuado durante situações sociais ou de desempenho, e está categorizada desde o DSM-III-R (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Third Edition Revised) como o subtipo de fobia social generalizada.

A Timidez é uma característica bastante comum, sendo um termo utilizado para uma grande variedade de situações. É muito comum desenvolver-se na adolescência. A timidez é de grau ligeiro e não interfere com o funcionamento social da pessoa e não conduz ao evitamento dessas situações. A timidez pode ser considerada uma forma moderada de fobia social.

De acordo com o National Comorbidity Survey-Replication, a fobia social atinge 7,1% da população mundial. A doença é considerada frequente na população, sendo o terceiro transtorno mental mais recorrente e o primeiro transtorno de ansiedade mais comum. Os dados, no entanto, são incompletos, pois nem todos os portadores do distúrbio chegam a ser diagnosticados ou procuram ajuda profissional.

Fobias sociais estão normalmente associadas a fraca auto-estima e medo de crítica. O medo e a ansiedade em pessoas com fobia social ficam frequentemente envergonhados ou humilhados caso não correspondam às expectativas. Muitas vezes, a preocupação é que se torne aparente por meio de suores, rubor, vómitos ou tremores (às vezes expresso com voz trémula) ou que a capacidade de manter a linha de raciocínio ou de achar palavras para se expressar seja perdida, assim como desvio do contacto visual e inibição do comportamento social normalmente esperado. Em geral, a mesma atividade realizada sozinha não produz ansiedade.

Existem múltiplas causas para o surgimento da fobia social: experiências de vida, fatores genéticos, experiências traumáticas condicionadoras, existência de familiares com transtorno de ansiedade… A combinação destes fatores provavelmente condicionará o início do transtorno.

Muitas vezes a Fobia Social é confundida com a timidez. Por tal, é frequentemente minimizado o sofrimento que existe nas pessoas com este transtorno, pois ele é bastante comum. Mas se uma situação muito simples de interação social provoca um medo intenso, e o seu evitamento, poderemos estar a falar de uma situação de fobia social. Nas suas formas mais graves, este problema pode ser incapacitante e ter efeitos devastadores na vida das pessoas. Pode implicar desistir de um emprego devido a que, por exemplo, possíveis contactos sociais teriam de ser realizados nesse mesmo emprego. O fóbico pode recusar um emprego com melhor remuneração, porque esta nova situação poderá implicar muitos contactos inter-pessoais, mesmo tendo todas as habilitações académicas e profissionais para o seu desempenho.

As situações em que a fobia social é comum incluem: falar em público, atuar em uma performances teatral ou musicais. Outras situações potenciais incluem: comer com outras pessoas, conhecer novas pessoas, conversar, assinar um documento na frente de testemunhas ou usar casas de banho públicas.

Procurar ajuda profissional

Geralmente não costumam procurar ajuda profissional, e por vezes os profissionais médicos, nomeadamente clínicos gerais, ainda têm desconhecimento da fobia social como distúrbio ansioso específico. Os fóbicos sociais raramente procuram ajuda, e só a procuram quando surgem outros problemas associados, como depressão ou abuso de álcool, drogas ou ansiolíticos.

A depressão é frequentemente uma complicação na fobia social. Os pacientes mais severamente incapacitados pela fobia social apresentam uma maior probabilidade de apresentarem depressão. A correta identificação de quadros depressivos em fóbicos sociais têm implicações importantes para o sucesso de tratamentos psicológicos. Não minimizem os vossos sentimentos, procurem ajuda!

A melhor maneira de ultrapassar a Fobia Social, a qualquer nível, é enfrentá-la. Mas claro, sozinhos esta tarefa não é fácil. Trabalhar em conjunto com um psicólogo ou terapeuta pode ser a ajuda ou simplesmente o empurrão de que precisamos para começar a melhorar a nossa autoestima, a nossa noção de auto-valor e a partir daí, sair da nossa zona de conforto, com confiança!

Acreditem. Não estão sozinhos. Sejam mais uma pessoa a ultrapassar a sua Fobia Social, tornem-se mais fortes. Tornem-se na melhor versão de vocês mesmos, estamos aqui para ajudar!

© 2018 - MINDCOACHING™

info@mindcoaching.pt