Conceito de Motivação

Motivação é uma força interna que nos leva a agir, e por ser interna só nós mesmos a podemos sentir. O uso técnico/científico do conceito é bem mais diversificado: 

A teoria de Maslow é uma das mais importantes teorias da motivação, defendendo que as necessidades dos seres humanos obedecem a uma hierarquia, a uma escala de valores. No momento em que o indivíduo realiza uma necessidade, surge outra, exigindo que as pessoas procurem meios para satisfazê-la.

Maslow foi um psicólogo americano conhecido pela proposta da hierarquia das necessidades, referindo que as necessidades humanas estão organizadas em níveis, numa hierarquia de importância e de influência, numa pirâmide. Na base dessa pirâmide encontramos as necessidades mais baixas (necessidades fisiológicas), e no topo, as necessidades mais elevadas (as necessidades de auto-realização). A partir dessas necessidades, Maslow procurou compreender e explicar as ações e o comportamento humano.

Falar de motivação sem nos lembrarmos do motivo é impossível, sendo que este é a base do processo motivacional. O motivo é o que alimenta qualquer atividade executada pelo ser humano, ele é responsável desde o início até à manutenção das atividades. Gouvea (1997) define motivo como “um fator interno, que dá início, dirige e integra o comportamento de uma pessoa”. Partindo deste conceito vemos que um indivíduo terá um impulso, iniciando a ação e a motivação, que permanecerá durante o desempenho e acabará logo que for atingido o objetivo. 

Sentir desmotivado é normal?

De vez em quando, é normal acordarmos desanimados ou tristes, sem vontade de fazer nada. Isso pode acontecer por diferentes razões, como: problemas no trabalho, insatisfação pessoal, conflitos familiares ou cansaço extremo. O que não é normal é que essa situação de desânimo se prolongue por períodos mais longos de tempo, atrapalhando a vida profissional e pessoal. Em casos assim, é preciso procurar a ajuda de um profissional. 

Como obter motivação? 

  • Pode recordar-se de momentos de satisfação, e perceber que pode senti-los novamente.
  • Com a correria do dia-a-dia, acabamos por não fazer determinadas coisas que gostaríamos… Pode fazer o seguinte exercício: Pense quais os elementos que pode retirar da sua rotina para ter mais tempo para fazer o que realmente é importante para si? Fazendo essa reflexão, é possível que perceba que tem estado a realizar atividades que são uma perda de tempo e energia, quando poderia usar esse mesmo tempo a realizar algo mais prazeroso. Ao estarmos a pensar em nós e fazer tempo para algo que gostamos já é uma motivação extra!
  • Deixe-se de desculpas: Quantas vezes arranjamos desculpas para não fazer algo, mesmo que depois até seriamos recompensados com uma sensação de dever cumprido? Actividades como ir ao ginásio, dar uma caminhada, refeições com amigos, …, mas que no final nos sentimos demasiado cansado para sequer sairmos de casa? Contudo no final, vem aquele sentimento de culpa, pois no fundo sabemos que após termos realizado essa actividade estaríamos mais felizes?! Procure perceber quais são as desculpas que dá para não cumprir as suas atividades e elimine esses hábitos. Quando perceber que está a ir por esse caminho, pare logo no primeiro dia e recomece a sua atividade.
  • Proponha objectivos: como somos movidos por objectivos, na maioria das vezes, proponha-se atingir objectivos… Comece por uns mais fáceis (para não criar frustração), e vá aumentando a dificuldade consoante achar que são objectivos tangíveis. Pode ser uma caminhada durante a hora de almoço, ir ao ginásio 3 vezes por semana, ir jantar todas as semanas com amigos, fazer uma viagem de sonho, ter um corpo mais saudável, alimentar-se melhor, … Para se sentir motivado a enfrentar a rotina que leva a esses resultados, procure concentrar-se no seu objetivo. Visualize-se a alcançar as suas metas, tendo óptimos resultados e sinta-se, então, mais motivado para alcançá-los.
  • Faça-se rodear de quem lhe faz bem: podem ser amigos, familiares ou até colegas de trabalho. O que importa é que sejam pessoas que tragam positividade e boas energias para a sua vida. Quando conversamos, rimos e passamos tempo com pessoas especiais, sentimo-nos mais animados e prontos para encarar novos desafios.
  • Procure ajuda profissional: a falta de motivação faz parte do quadro de sintomas de doenças psicológicas, como a depressão. Por isso, é fundamental procurar ajuda. Só um bom profissional poderá avaliar se a sua falta de motivação é algo normal e de passagem ou se é algo prolongado e grave, e oferecer o apoio adequado a cada caso.

No Mind Coaching, trabalhamos diariamente com dezenas de pessoas que sofrem de um tipo ou outro de falta de motivação, muitas vezes ligado à depressão ou até mesmo ansiedade! Não pense que está sozinho, pois são inúmeras as pessoas que precisam de aconselhamento profissional para sair de uma determinada má fase, passando a uma fase mais produtiva e positiva.

O desespero não serve de nada. Peça ajuda e comece a melhorar a sua vida, tornando-se a melhor versão de si mesmo ainda hoje!

© 2018 - MINDCOACHING™

info@mindcoaching.pt